Comitê IPA do Mês


O Subcomitê de Comunicações dos Sócios lançou o Comitê do Mês da IPA. Este é um espaço para mostrar o trabalho e dar voz aos nossos comitês. Esperamos que você goste. 

Luis Alejandro Nagy 
Presidente - Comunicações de Sócios
Contato: [email protegido]


Arquivo do Comitê do Mês

20242023 | 2022


MAIO 2024
O Comitê de Violência 


Formado em 2018, o Comitê de Violência da IPA é um dos comitês da IPA na Comunidade e no Mundo e membro do comitê diretor presidido por Mira Erlich-Ginor. 


Ficamos particularmente satisfeitos com o facto de a IPA ter percebido a necessidade de um comité dedicado a examinar como a psicanálise poderia contribuir para resolver o problema global da violência. 

O mandato conferido ao Comitê de Violência facilita assim um exame psicanalítico da violência em suas muitas manifestações, incluindo formas cotidianas de violência em nós mesmos, violência individual extrema, violência de pequenos grupos, como gangues, violência de grandes grupos, violência nacional e internacional, incluindo genocídios, bem como a violência provocada pela Internet. Como tal, o Comité para a Violência aborda, portanto, os aspectos mais terríveis da natureza humana, incluindo a violência perpetrada que tem historicamente provocado respostas retributivas ou vingativas, com os resultantes ciclos de violência.

Membros: Carine Minne, Presidente; Veronika Grüneisen, Timothy Keogh, Suzana Fortes, Maria Pia Conte. Consultor: Armien Abrahms. 
Fotos da esquerda para a direita. 




A abordagem do nosso comitê sempre foi fornecer uma compreensão psicanalítica do mundo externo, e não apenas do interno. Nossa primeira tarefa foi desenvolver uma base de conhecimento do que estava disponível na literatura psicanalítica sobre o tema da violência. Este banco de dados está em constante expansão.

As atividades do Comitê e de seus membros têm sido extensas. Exemplos das nossas atividades incluem o nosso envolvimento em dois webinars da IPA (um sobre Lone Wolf Terrorists e outro sobre Racismo) e a preparação de uma série de webinars clínicos sobre avaliações e tratamentos psicanalíticos de pacientes extremamente violentos. Isto é com a esperança de atrair mais psicanalistas para trabalhar com esses pacientes. Esses casos extremos são muito úteis para todos os médicos, pois os resultados de tais casos podem ser extrapolados para casos mais comuns na prática psicanalítica.

Durante a pandemia da COVID-19, também realizamos diversas reuniões intituladas Associações Livres, que estão sendo preparadas como um artigo sobre as reflexões do Comitê de Violência durante este evento global e suas ramificações.

Pretendemos também produzir uma série de publicações abordando a questão da violência no mundo atual. Estas publicações examinarão tópicos que vão desde violações dos direitos humanos e atrocidades em todos os continentes, negligência das sociedades relativamente às necessidades de saúde mental de bebés, crianças e adultos, leis de controlo de armas, violência, violência sexualizada e outras formas de violência contra crianças, mulheres e homens. Isto abrangerá o agravamento da situação de violência na Internet e a disponibilidade de pornografia extrema facilitada por pessoas motivadas por fins obscenos de lucro. Incluirá também a violência motivada pelo racismo, um aumento no número de países que utilizam a pena de morte e um fosso cada vez maior entre os poucos super-ricos e a grande maioria que vive na pobreza, o que sabemos estar associado ao aumento da violência. Nosso objetivo, portanto, é incluí-los em uma série de livros descrita abaixo.    
 
O Comitê de Violência está preparando uma série de pequenos livros, mencionados acima, sobre diferentes aspectos da violência, tendo em mente o público em geral, para tornar mais disponível ao público (e, esperançosamente, aos formuladores de políticas) uma compreensão psicanalítica desses aspectos muito comuns, mas menos favoráveis, da violência. natureza humana. A esperança é que a nossa compreensão psicanalítica possa contribuir gradualmente, por exemplo, para abordagens mais civilizadas da criminalidade e dos sistemas de justiça criminal. Todos sabemos que a maioria das prisões em todo o mundo está cheia de pessoas traumatizadas na infância ou na infância e, no entanto, isto é muitas vezes esquecido na forma como os infratores são geridos.

Dado o aumento alarmante dos conflitos internacionais e da violência em todo o mundo, a nossa comissão também está a trabalhar para reforçar os laços com outras ONG. Ao fazer isso, nosso comitê espera propagar a sabedoria de Freud em sua correspondência com Einstein em 1932:

Tudo o que produz laços de sentimento entre homem e homem deve servir-nos como antídoto para a guerra. Esses laços são de dois tipos. Primeiro, relações como aquelas em relação a um objeto amado, por mais vazias que sejam de intenção sexual. …O outro vínculo de sentimento é por meio de identificação. Tudo o que revela as semelhanças significativas entre os homens põe em jogo este sentimento de comunidade e de identificação, onde se baseia, em grande medida, todo o edifício da sociedade humana. (Por que a guerra? SE, 22: 197-215).

Portanto, um terceiro aspecto do trabalho da nossa comissão tem sido ligar os nossos estudos de fenómenos violentos à prevenção, com ênfase nos primeiros mil dias cruciais da vida de todos e na importância de acompanhar as pesquisas e descobertas neurocientíficas. 

Uma outra iniciativa planeada consiste em desenvolver um 'newsflash' regular com base psicanalítica sobre qualquer aspecto da violência que acontece em algum lugar do mundo ou que se reflecte através das artes. Esperamos que isto funcione como uma atualização regular deste comitê e estimule o interesse e o diálogo. 

Nossa abordagem ao nosso trabalho mantém o foco no exame de nós mesmos e de nossa própria violência como uma forma de evitar as defesas psíquicas tão comuns de que todos somos capazes, dividindo e projetando, usando – ‘eles’ versus ‘nós’ – localizando toda a maldade convenientemente em um 'outro'. Como sabemos através de séculos de história, isto pode levar muito rapidamente à desumanização de populações inteiras e à erupção de atrocidades.

Um dos nossos privilégios é trabalhar com os outros comités da Comunidade e do Mundo, especialmente dada a inevitabilidade da sobreposição entre estes comités e onde a violência tem sempre uma presença óbvia ou oculta, independentemente da área que esteja a ser discutida. Também desenvolvemos laços estreitos com a Associação Internacional de Psicoterapia Forense (IAFP), uma organização multidisciplinar centrada nos infratores e no pessoal que trabalha com eles em diferentes ambientes. O Comitê ficou, portanto, encantado com o fato de Harriet Wolfe, Presidente da IPA, ter proferido o discurso de abertura da conferência do 30º aniversário da IAFP em Londres, em maio de 2022. Apoiamos fortemente a necessidade de trabalharmos em conjunto com outras disciplinas relevantes, permitindo o enriquecimento cruzado. Realizamos um seminário clínico mensal (The Sohn Seminar, em homenagem ao falecido Dr. Leslie Sohn), onde médicos de diferentes origens apresentam casos, seguido de uma discussão e formulação psicanalítica.

A nossa comissão está consciente de que abordar o problema da violência em todas as suas terríveis manifestações é assustador e necessariamente multidisciplinar. No entanto, esperamos fazer a diferença, não importa quão pequena ou lenta, demonstrando o valor das ideias e conceitos psicanalíticos para este empreendimento.

Valorizamos, portanto, esta oportunidade de informar os nossos colegas sobre o importante trabalho da nossa comissão.


Algumas de nossas apresentações internacionais:

  • Londres, Reino Unido, maio de 2022 
    Conferência do 30º Aniversário da IAFP.
  • Sydney, Austrália, novembro de 2022
    Timothy Keogh: Orador plenário na Conferência Memorial para Neville Symington (Autor: Resposta despertada pelo psicopata); Carine Minne também falou.
  • Londres, Reino Unido, novembro de 2022
    Carine Minne: Oradora plenária na Justiça Restaurativa para Todos, Conferência sobre Radicalização Violenta. 
  • Gênova, Itália, dezembro de 2022
    Maria Pia Conte: Organizadora e palestrante da Conferência Memorial a Gian Luigi Rocco, Psicanalista e Psiquiatra Forense. Massimo de Mari (Comitê de Psicanálise e Direito) e Carine Minne apresentaram trabalhos.
  • Delhi, Índia, janeiro de 2023
    Timothy Keogh, apresentador representando o Comitê de Violência.
  • EPF Cannes, França, março de 2023
    Carine Minne, Veronika Grüneisen, Massimo de Mari (PA Soc & Law & Psychoanálise Com italiano), Camilla Bargum (PA Soc finlandês). 
    Apresentação de pacientes violentos e ilusões, através de delírios e depois desilusões.
  • Salvador, Brasil, abril de 2023 
    Suzana Fortes: Apresentação no 5º Congresso de Língua Portuguesa do PA - Escravidão & Liberdade Travessias de Corpo & Alma.
    O Projeto Violência, Educação e Psicanálise teve início em 2007 e está em atividade contínua.
  • Cartagena, Colômbia, julho de 2023
    Carine Minne: sob ataque na sala de consultório.


Carine Minne, presidente.