Banco de Dados de Pesquisa IPA

Desde 1997, o IPA fornece financiamento para pesquisas em psicanálise. Mais de 450 bolsas foram concedidas durante esse período, e os pesquisadores publicaram muitos artigos e monografias decorrentes deste trabalho. Cada pesquisador é obrigado a apresentar um relatório ao IPA sobre seus resultados de pesquisa; Para respeitar a liberdade acadêmica, o IPA financia grupos de pesquisadores independentes para realizar seu trabalho, e o próprio IPA não é responsável pelo conteúdo ou pelos resultados do trabalho de pesquisa que financia.

A psicanálise tem uma forte base de pesquisa. O IPA apoiou o desenvolvimento dessa base, financiando pesquisas. Esse banco de dados inclui descrições de pesquisas apoiadas pelo IPA nos últimos 15 anos.

Nosso objetivo é tornar os resultados da pesquisa acessíveis aos médicos, destacando o significado prático da pesquisa para a prática. O IPA é grato aos pesquisadores que forneceram as informações. Os dados ainda estão sendo coletados e processados ​​e, até o momento, nem toda a pesquisa realizada com o apoio do IPA está representada. A publicação de outros materiais está em andamento. Marque este site como favorito e volte com frequência para verificar se há atualizações.

Esse banco de dados agora inclui todas as subvenções concedidas pelo IPA sob seus programas CERP ou antecessores. A maioria das doações resultou no envio de relatórios ao IPA; mas quando os resultados da pesquisa mostrarem um link abstrato, mas não clicável, ainda não temos um relatório para essa concessão. Em alguns casos, isso se deve à proximidade da data da concessão ou concordamos com uma extensão de tempo gratuita para o Investigador Principal para permitir que o trabalho ou o relatório sejam concluídos.

Pager de dados
Pager de dados
 item 1 para 50 of 528
de 11 
Mostrar todos 528
Investigador PrincipalCo-investigadorClique no link do título para o documentoSumárioRodada de prêmios
Pager de dados
Pager de dados
 item 1 para 50 of 528
de 11 
Mostrar todos 528
J. Stuart AblonDr. Raymond Levy; Tai KatzensteinUm estudo naturalístico de psicoterapia psicodinâmica breve para transtorno de pânico: identificando processos de mudança com suporte empíricoEste estudo buscou investigar a eficácia da psicoterapia com tempo limitado para transtorno de pânico quando conduzida de forma naturalista por médicos que se identificam como psicodinâmicos em orientação. As análises secundárias procuraram identificar os correlatos do processo de resultado e determinar até que ponto o processo de tratamento se conformava ao processo de tratamento ideal, conforme descrito por médicos especialistas de diferentes orientações teóricas. O estudo também examinou se o grau de conformidade dos tratamentos com o processo prototípico estava correlacionado com o resultado positivo.4/1/2001
Felipe Lecannelier Acevedo Mentalização, regulação emocional e controle da atenção11/1/2002
Dra. Silvia Raquel Acosta Processo descritivo e dinâmico do inconsciente em sessões psicanalíticas: pesquisas sobre a construção dinâmica do diálogo clínico com foco no funcionamento da mentalização10/1/2015
Dr. Joseph Aguayo Historicizando as origens da psicanálise kleiniana: a evolução da teoria clínica de Melanie Klein e seu subsequente desenvolvimento em Londres 1914-2004 7/1/1999
Dr. Jaume Aguilar MatasLic. M. Victòria Oliva de Cantavella; Luis Mauri; Roser Noguera; Carme MiquelEscala de Diagnóstico Psicanalítico Kleiniano (KPDS): uma escala de diagnóstico para pesquisa interdisciplinarEste artigo trata da construção de uma escala psicanalítica, que foi denominada de Escala de Diagnóstico Psicanalítico Kleiniano (KPDS). Pretendia-se ser um instrumento de avaliação baseado na teoria das relações objetais, com o objetivo de introduzir o pati.3/1/2000
Sra. Sarah Ahlfs-Dunn Representações maternas interrompidas: estabilidade pré-natal a pós-natal em relação ao trauma interpessoal maternoO primeiro objetivo foi investigar a relação entre as experiências maternas de trauma interpessoal na infância e na idade adulta e representações maternas pré-natais interrompidas da criança (conforme avaliado pelo Modelo de Trabalho da Entrevista Infantil [WMCI] e o novo esquema de codificação WMCI-interrompido) dentro de um amostra de 120 mulheres de baixa renda e altamente traumatizadas que participaram de um estudo longitudinal (The Parenting Project, PI = Alissa Huth-Bocks, PhD). O segundo objetivo foi investigar a (in) estabilidade das representações maternas interrompidas sobre a criança desde a gravidez até 2 anos após o parto em relação à (in) estabilidade das experiências de trauma interpessoal materno. Além disso, análises exploratórias foram planejadas para investigar se os subtipos de representações maternas interrompidas da criança variam de acordo com o tipo de trauma interpessoal vivenciado na infância ou na idade adulta. Identificar a prevalência de representações maternas interrompidas sobre a criança em uma amostra de alto risco também foi uma intenção da pesquisa, uma vez que isso não foi feito antes na literatura.3/25/2011
Dr. med., Dipl. Psych. Luis Lauro Albalustri Trauma infantil, síndrome do intestino irritável e relações objetais iniciais5/1/2004
Dr. med., Dipl. Psych. Luis Lauro Albalustri Cortisol, distúrbio interno objetal e depressão12/6/2006
Dr. med., Dipl. Psych. Luis Lauro AlbalustriClaudia Nancy MinichelloRelações objetais iniciais em indivíduos com transtornos somatoformes: fatores de personalidade, depressão e ansiedadeEste artigo visa determinar o tipo de relações objetais iniciais internalizadas em pacientes somatoformes, para investigar características de personalidade, níveis de depressão, ansiedade, fatores estressores e seu impacto em pacientes somatoformes, para estabelecer9/1/2001
Dra. Carolina Altimir Regulação afetiva em psicoterapia: microanálise do comportamento facial e verbal em momentos de ruptura e resolução e sua associação com a mudança terapêuticaRegulação afetiva em psicoterapia: microanálise do comportamento facial e verbal em momentos de ruptura e resolução e sua associação com a mudança terapêutica3/1/2010
Dra. Marina Altmann de LitvanSylvia GrilComparando troca verbal de mãe e analista e interação não verbal de mãe e bebês com problemas psicofuncionais: estudo exploratório baseado no Modelo de Ciclos (Mergenthaler, Bucci) e Indicadores de Apego de Infantes (Escala de Massie Campbell)Este artigo é sobre a comparação da troca verbal da mãe e do analista e a interação não verbal da mãe e dos bebês com problemas psicofuncionais.4/1/2001
Dra. Marina Altmann de LitvanSylvia GrilEstudo microanalítico de mudanças nos processos psicoterapêuticos usando indicadores verbais e não verbaisEste artigo trata do estudo microanalítico das mudanças nos processos psicoterapêuticos por meio de indicadores verbais e não verbais.7/1/1998
Dra. Marina Altmann de LitvanSylvia Gril; Mario Luzardo; Analia Corti; Gabriela Nogueira; Alicia Weigensberg; Emilia Sasson; Elena Gonzalez; Lic. Maria Bauer; Rosina Procopio; Laura SzterenO estudo de Montevidéu da interação verbal e não verbalEste artigo trata do desenvolvimento de pesquisas empíricas no campo da psicoterapia breve mãe-bebê.5/1/2003
Dr. Gilles Ambresin Intervenções do terapeuta e defesas do paciente em psicoterapia dinâmica breve para pacientes internados com depressão: um estudo exploratório de resultados de processos3/22/2011
Prof. Massimo Ammaniti Bases neurobiológicas de espelhamento afetivo em interações deprimidas mãe-bebêEste artigo é um relatório científico sobre as bases neurobiológicas do espelhamento afetivo nas interações mãe-bebê deprimidos.10/7/2007
Prof. Massimo Ammaniti Desenvolvimento da personalidade durante a adolescência: confiabilidade e validação do Interview of Personality Organization Processes in Adolescence (IPOP-A)Os objetivos originais do estudo de pesquisa lida com o desenvolvimento da Entrevista dos Processos de Organização da Personalidade na Adolescência como uma medida confiável e válida para avaliar a organização da personalidade durante a adolescência, útil para o diagnóstico psicanalítico e para a avaliação do resultado do tratamento psicanalítico. O objetivo deste projeto de pesquisa foi validar a versão final do IPOP-A avaliando (1) sua confiabilidade e (2) sua validade.10/20/2011
Dra. Elga Filipa Amorim Claro de Castro Análise secundária de dados longitudinais arquivados: uma nova abordagem para a pesquisa psicanalítica11/1/2004
Dra. Elga Filipa Amorim Claro de Castro Uma investigação da organização psicodinâmica e da personalidade associada às atribuições maternas positivas e negativas de intencionalidade dos comportamentos e emoções do bebê3/25/2011
Dra. Elga Filipa Amorim Claro de Castro Projeções maternas e atribuições de intencionalidadeEste artigo é sobre um estudo de medição empiricamente de um mecanismo psicodinâmico fundamental que é determinante para a dinâmica da interação mãe-bebê na primeira infância e no futuro desenvolvimento emocional. É bastante conhecido que os bebês nascem com uma capacidade limitada de autorregulação e que dependem do cuidador principal para devolvê-los à homeostase quando emocionalmente oprimidos por estados afetivos positivos ou negativos.3/7/2008
Dra. Eva Appelman Problemas de apego revisitados no contexto de prestação de cuidados após tratamento de infertilidade bem-sucedido (2 prêmios)3/1/2000
Prof. Dr. Rui Aragão OliveiraProf. Dr. Carlos Amaral Dias; Psic. Christine Nunes; Dra. Maria Da Conceição Guimarães Oliveira; Hugo Senra; Sandra Oliveira; Luís LoureiroExperiências vividas do processo psicoterapêutico em psicanálise e psicoterapia psicanalíticaO estudo do processo psicoterapêutico em psicanálise e psicoterapia psicanalítica2/19/2009
Prof. Dr. Alejandro Avila-Espada Os efeitos dos planos e intervenções do psicoterapeuta no processo psicoterapêutico por meio da análise intensiva e extensa de um único caso (2 prêmios)11/1/1998
Prof. Tessa Joan Baradon Microanálise do processo clínico na psicoterapia psicanalítica pais-bebê abordando o trauma relacionalEste projeto de pesquisa, elaborado e conduzido por membros do Projeto Pais-Bebês (PIP) e da Unidade de Pesquisa do Apego à Criança e Terapias Psicológicas (ChAPTRe), ambos no Centro Nacional Anna Freud para Crianças e Famílias (o Centro), teve como objetivo examinar detalhadamente o processo de Psicoterapia Psicanalítica Parent Infantil (PPIP) em casos de trauma relacional. O objetivo do projeto era explorar os microprocessos que constituem a interação terapêutica e identificar as interações entre terapeuta, mãe e bebê que trazem mudanças positivas nos padrões traumáticos de relacionamento entre mãe e bebê. Além disso, objetivamos desenvolver uma metodologia sistemática para estudar o encontro terapêutico de forma a gerar uma compreensão significativa, relevante para a prática clínica. 12/31/2017
Dra. Ayelet Barkai Uma perspectiva psiquiátrica sobre narrativas de autorreflexão em adolescentes resilientes (parte 5 de 5 - artigo na Adolescent Psychiatry)A autorreflexão é uma competência de desenvolvimento que emerge plenamente na adolescência. Neste artigo, o desenvolvimento da autorreflexão é explorado a partir das perspectivas da psicologia do desenvolvimento, estudos de resiliência e psicopatologia do desenvolvimento como uma forma de aprofundar a compreensão dos médicos sobre a relevância clínica do desenvolvimento da autorreflexão. A literatura sobre a formação da identidade narrativa na adolescência normativa é revisada e a pesquisa sobre a autorreflexão em narrativas de adolescentes de alto risco que participam de um estudo longitudinal em andamento de mais de 30 anos de psicologia e psicopatologia do desenvolvimento de adolescentes é apresentada. Uma síntese teórica é proposta para dar conta das relações entre autorreflexão, competência e resultado resiliente.12/5/2005
Dra. Ayelet Barkai Dimensões e novas medidas relevantes para a psicanálise. A criação de um esquema de codificação que avalia a expressão da curiosidade em uma entrevista com um adolescente (resultados preliminares) (parte 4 de 5 - artigo no JAPA)Pôster - A criação de um esquema de codificação avaliando a expressão da curiosidade em entrevistas com adolescentes: descobertas preliminares12/5/2005
Dra. Ayelet Barkai Identificar resiliência por meio de narrativas de autorreflexão (parte 3 de 5 - pôster)Pôster - Identificando a resiliência por meio de narrativas de autorreflexão12/5/2005
Dra. Ayelet Barkai Identificando resiliência por meio de narrativas de autorreflexão: melhorando o método e estabelecendo confiabilidade (parte 2 de 5 - pôster)Cartaz - Melhorando o Método e Estabelecendo Confiabilidade12/5/2005
Dra. Ayelet Barkai O desenvolvimento da curiosidade na adolescência: sua relação com a aquisição de capacidades adaptativas específicas (parte 1 de 5 - relatório provisório)Atualização de relatório12/5/2005
Dra. Graciela Basso de Llama Figueroa Desenvolvimento de apego muito precoce em bebês prematurosObservar e analisar os estados autonômicos e comportamentais de recém-nascidos pré-termo, na interação com mães e enfermeiras, com o objetivo de detectar sinais de apego nas fases iniciais do desenvolvimento.11/1/1999
Jordan Bate Avaliando a eficácia do Modelo de Blocos de Construção: uma intervenção psicodinamicamente informada para famílias de alto risco12/31/2018
Anna batki O desenvolvimento da sensibilidade a formas "realistas" versus "marcadas" de expressões emocionais na infância como uma função do espelhamento regulador do afeto parental e da psicopatologia parental5/1/2004
Prof. Dra. Ariane Bazan   
Prof. Dra. Ariane Bazan A mentação do processo secundário como defesa contra a ambigüidade: um estudo empírico em populações clínicas com controle exacerbado usando estímulos pictóricos, linguísticos e rebusUm estudo empírico em populações clínicas com controle exacerbado usando estímulos pictóricos, linguísticos e rebus10/1/2016
Dra. Beatrice A. Beebe Risco e resiliência em viúvas grávidas do 9 de setembro e seus bebês aos 11 meses10/1/2014
Dra. Beatrice A. BeebeHope C. Igleheart; H. Steele; Miriam Steele; K. Lyons-Ruth; K. Jaffe; S. FeldsteinDa infância à idade adulta: coordenação do ritmo vocal na infância Relatamos o acompanhamento de 16 díades de uma amostra da comunidade, coletada na infância de 1985-89, e observada novamente quando a prole tinha 21-22 anos de idade. O número de díades avaliadas aqui é pequeno e as associações relatadas são preliminares. No entanto, este é um conjunto de dados raro e valioso, e as associações que encontramos são encorajadoras. A coleta de dados neste estudo continua em andamento. As avaliações da coordenação da tomada de giro vocal na infância durante a interação face a face mãe-bebê e filho-estranho previram resultados em adultos jovens, para filhos e escalas de entrevista de apego materno, depressão, dissociação e ansiedade materna (todos p <05) . O estado de apego do bebê aos 12 meses (seguro / inseguro) não previu o estado de apego da prole de adulto jovem ou da mãe na AAI e não previu o estado de apego de adulto jovem na avaliação de Resolução de Conflitos. É notável que as avaliações da coordenação de tomada de giro vocal na infância prevejam resultados em adultos jovens, e ainda mais notável com um grupo tão pequeno de 16 díades avaliadas em resultados em adultos jovens.3/22/2011
Dra. Beatrice A. BeebeAmy Margolis; Joseph Jaffe; Karen Buck; Henian Chen; Patricia Cohen; Nidhi Parashar; Alla Chavarga; Alina PavlakosMãe-bebê vs. filho-estranho: depressão e apegoMãe-bebê vs. filho-estranho: depressão e apego. Descreva as diferenças nas qualidades comportamentais mãe-bebê vs criança-estranho, contingência autônoma e interativa em várias modalidades de comunicação10/7/2007
Dr. Folkert BeenenDr. Gherardo Amadei; Sra. Leena Klockars; Dra. Jan Stoker; Prof. Doc. MD Imre Szecsödy; Dr. phil. Sverre VarvinProjeto multicêntrico sobre treinamento, aplicação e pontuação da AAI, Escala de RF, entrevista Mudança Após Psicoterapia (Psicanálise) (CHAP), aplicação multicêntrica da Escala de Classificação Periódica e teste e desenvolvimento de medidas de processoO foco do estudo está no campo da pesquisa de processo e resultado, ou seja, avaliação sistemática do empreendimento psicanalítico antes, durante e depois do tratamento. As medidas do processo serão o centro das atenções com o objetivo final de adicionar argumentos científico-empíricos ao nosso conhecimento clínico dos fatores curativos no tratamento psicanalítico. O valor de todo o projeto multicêntrico reside especialmente na criação de uma cooperação multicêntrica para estabelecer um sistema sistemático de avaliação estrutural de nossa prática psicanalítica diária, combinado com um esforço de pesquisa empírica que ressalta a reivindicação da psicanálise a um lugar entre as ciências . Um resultado futuro concreto de todo o empreendimento poderia ser a construção de um sistema (flexível) de monitoramento e verificação de qualidade para tratamento psicanalítico. A primeira fase do projeto diz respeito à seleção de instrumentos e treinamento em métodos relevantes. O próximo estágio será formular questões de pesquisa mais específicas relativas ao processo e ao resultado. Alguns deles serão comuns a todos os grupos multicêntricos e alguns serão específicos a cada grupo.11/1/1998
Erin Marie Behnke O estado mental: uma exploração de mentalização, trauma, risco e resiliência11/1/2004
Dr. Jack Beinashowitz Processo de psicoterapia psicodinâmica e investigação de resultados10/1/2012
Dra. Victoria Regina Bejar Intervenção psicanalítica com pacientes que sofrem de síndrome fibromialgica (SFM) (2 prêmios)11/1/2004
Dr. Ozlem Bekar “Eu não sabia que seria assim:” Integrando o apego e o funcionamento reflexivo nas abordagens psicodinâmicas para apoiar as mulheres durante a gravidez e o pós-parto12/31/2019
Dr. Ozlem Bekar Uma mãe, um bebê e duas abordagens de tratamento: discutindo um caso de mudança a partir das perspectivas da TCC e da mentalização 12/31/2017
Dra. María G. Grivot de Benito SilvaLaura BongiardinoInteração, iniciativa e criatividade na situação lúdica: desenvolvimentos do terceiro anoEste artigo trata da interação, iniciativa e criatividade na situação de jogo.12/1/1997
Prof. Rachel B. Blass Preenchendo uma lacuna no discurso sobre a validação de afirmações psicanalíticas: um estudo conceitual e histórico de como as abordagens clínica e conceitual para a pesquisa podem validar proposições psicanalíticas3/22/2011
Prof. Rachel B. Blass Da fantasia de sedução à fé: a evolução dos conceitos freudianos de verdade e realidade entre 1895-1939Os objetivos deste estudo são (a) desenvolver uma compreensão mais abrangente da epistemologia da psicanálise, (b) fornecer uma contribuição especificamente psicanalítica para a epistemologia e, posteriormente, (c) apontar para os fundamentos e justificativas potenciais da psicanálise contemporânea. a teoria e a prática. Elas são derivadas principalmente de um exame crítico dos conceitos de verdade e realidade de Freud conforme surgiram no curso de 45 anos de sua escrita psicanalítica.5/1/2003
Dr. med. Victor Blüml Organização da personalidade no transtorno de personalidade limítrofe, transtorno afetivo bipolar e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade em adultos: um estudo piloto10/1/2015
Prof. Dr. med. Heinz Böker A mudança da estrutura mental devido à psicoterapia psicodinâmica modula a atividade cerebral durante a estimulação aversiva na depressão: o Estudo de Depressão de ZuriqueEmbora haja um grande número de pesquisas demonstrando a eficácia da psicoterapia no tratamento da depressão, sabemos pouco sobre os efeitos da psicoterapia no cérebro. No Zurich Depression Study, exploramos as mudanças na ativação cerebral em pacientes deprimidos antes e depois de seis meses de psicoterapia psicanalítica. Associamos a ativação do cérebro a medidas comportamentais relevantes (por exemplo, o Diagnóstico Psicodinâmico Operacionalizado (OPD-2)). 12/31/2017
Prof. Vincenzo Bonaminio A eficácia da psicoterapia psicanalítica de curto prazo para crianças com transtornos de ansiedade3/24/2011
Psic. Nahir BonifacinoDra. Dora Musetti; Dr. Andrea PlevakDetecção precoce de indicadores de risco no desenvolvimento emocional inicial: intervenção interdisciplinar no primeiro nível de atenção (parte 1 de 2 - relatório final)Detecção precoce de indicadores de risco no desenvolvimento emocional precoce de bebês entre 2 e 15 meses, por meio dos indicadores de abstinência detectados durante a consulta pediátrica.3/1/2010
Psic. Nahir Bonifacino Retraimiento sostenido. Un indicador de riesgo en el desarrollo tempranoEste es tu dio mues trá los apor tes de una he rra mien ta pa ra la vi gi lan cia del de sa rro llo psi coeficiente mo cio nal tem pra no, que pue de ser em cor po ra da a la prác ti ca del pe dia tra en el Pri mer Ni vel, fa vo re cien do una con cep ción in te gral del con trol de sa lud. Se rea li zó la de tec ción pre coz de in di ca do res de re trai mien to du ran te la con sul ta pe diá tri ca con la es ca la ADBB (Gue de ney, 2001/2007) a 67 be bés en tre 2 y 14 me ses, fil ma dos en cua tro vi si tas pe diá tri cas du ran te el año 2010, en dos cen tros de sa lud pú bli ca. Se tra ba jó en dos lí neas pa ra le las. Un pe dia tra con para ma ción en ADBB des de el início del es tu dio rea li zó la con sul ta de 30 be bés, y en ca so de tec tar re trai mien to rea li zó in ter ven cio nes orien ta das a pro mo ver en los pa dres nue vos re cur sos en la re la ción tem pra na. Otros 37 ser bés fue ron aten di dos en sus con tro les ha bi tua les por nue ve pe dia tras, quie nes fue ron for ma dos en ADBB y en la im ple men ta ción de inter vençõ es, des pués de la se gun da con sul ta vi deo fil ma da.3/25/2011
Observação: você pode exibir todos os subsídios e relatórios deixando todos os campos de pesquisa em branco e clicando em 'Localizar'