Sociedade IPA do mês

Todos os meses, focamos na história, nos destaques e nas atividades de uma sociedade IPA. Se você gostaria que sua sociedade fosse apresentada, escreva para
Maria Grazia Vassallo e Cristina Vascocellos.  

arquivo

2016 | 2017 | 2018 | 2019 | 2020 | 2021

Associação Psicanalítica Italiana (AIPsi.) 



   
Projeto Editorial: Ignazio Cannas (Presidente da AIPsi) Jona Kozdine (Membro da AIPsi)
Tradução: Luigi Maccioni (Diretor do Instituto de Treinamento e Membro Pleno AIPsi), Giovanna Ambrosio (Membro Pleno AIPsi) 


Adriano Giannoti, primeiro presidente da AIPsiA Associação Psicanalítica Italiana (AIPsi.) É uma Sociedade Componente da Associação Psicanalítica Internacional. A sede da Sociedade e do Instituto é em Roma e seus membros estão distribuídos por toda a Itália.
A Associação Psicanalítica Italiana foi fundada em 1992 principalmente por analistas seniores da Sociedade Psicanalítica Italiana (SPI), incluindo o Prof. Emilio Servadio, um pioneiro da psicanálise na Itália. A sua fundação resultou de uma cisão dentro do SPI por razões essencialmente éticas e só posteriormente institucionais. A história da AIPsi é, portanto, curta, pois antes de 1992, essas duas sociedades IPA compartilhavam uma experiência comum; na verdade, muitos dos membros fundadores da AIPsi foram participantes ativos na vida institucional da SPI e ocuparam cargos diversos.

1993, Emilio Servadio, Renata Gaddini e alguns estudiososA Associação Italiana de Psicanálise foi fundada sob os auspícios do falecido prof. Joseph Sandler, na época o Presidente da IPA, e as atividades da nova Associação começaram sob os auspícios de um Comitê Patrocinador da IPA composto pelos Drs. Adam Limentani (Presidente), Yolanda Gampel e Gemma Jappe, três analistas ilustres e internacionalmente conhecidos.  


1993, Hetchegoyen, Canestri e GiannottiO primeiro Presidente da AIPsi foi o Prof. Adriano Giannotti que infelizmente faleceu prematuramente em 1994. Após a sua morte a Dra. Jacqueline Amati Mehler foi eleita Presidente seguida por Andreas Giannakoulas e Carlo Vittorio Todesco, Jorge Canestri, Adolfo Pazzagli e Giovanna Ambrosio. Atualmente Ignazio Cannas é o presidente da AIPsi.  


O principal objetivo do AIPsi. tem por objetivo a construção de um Instituto de Formação que proporcione aos candidatos um amplo programa de formação e aprendizagem integrado teórica e clinicamente, para o qual contribuem todos os Analistas de Formação bem como os Membros Plenos de acordo com as suas energias e competências específicas. 

Um ponto essencial tem sido o de limitar a função formativa por estatuto, para que seja regulada de acordo com critérios que evitem os riscos de distorção no sentido do poder pessoal; por exemplo, limites de idade, número limitado de candidatos para análise de formação, acompanhamento contínuo dos alunos por toda a Comissão de Formação que se reúne regularmente todos os meses. Realizam-se reuniões regulares do Diretor do Instituto com os candidatos.

Um ponto importante das políticas da AIPsi tem sido estabelecer o princípio da formação permanente visando não só oferecer oportunidades continuadas de aprendizagem teórico-clínica aos membros mais jovens, mas constituir também para os membros mais velhos um espaço de garantia recíproca, de discussão aberta sobre a integração. de temas científicos e institucionais.
 
2018, Andreas Giannakoulas e Max Hernandez com alguns membros da AIPsiA AIPsi atribui grande valor à actividade científica como oportunidade permanente de encontros, quando possível acolhendo convidados de outras Sociedades IPA, organizando encontros interdisciplinares como terreno de exercício de comunicação e discussão, tanto nos conteúdos como na metodologia, articulando a prática clínica quotidiana a um comum campo teórico em todas as suas articulações e diversificações. Esta é uma tentativa de encorajar uma vida social rica e intensa como uma premissa essencial para perseguir outro de nossos objetivos básicos: o de um intercâmbio aberto e internacional constante com outras Sociedades IPA.


Serviço de consulta
Como forma de servir a comunidade, a AIPsi oferece um serviço de consulta gratuita ao público. Quem tiver interesse deve ligar para a Associação para solicitar uma conversa.

Biblioteca

A Associação se beneficiou de três doações de livros muito importantes do Dr. Stefano Fajrajzen, Dr. Bernie Pacella, Ex-Presidente da American Psychoanalytic Association e da notável coleção de livros do Prof. Servadio e um arquivo histórico inestimável para o qual a AIPsi recebeu fundos da o Beni Culturali para catalogá-los. No momento, a biblioteca, aberta ao público mediante agendamento, conta com mais de 10,000 livros, periódicos e resenhas.

Jornal da associação
Fundado em 1997, Psicoanalisi é o jornal semestral da AIPsi. publicar artigos relacionados a questões clínicas e teóricas psicanalíticas específicas. Hoje em dia, quando a especificidade da psicanálise corre o risco de ser diluída ou confundida com as terapias alternativas derivadas da psicanálise, ou pretende testar sua eficácia e confiabilidade aplicando métodos adequados a outros ramos da ciência, Psicoanalisi visa destacar e desenvolver o que é específico desta disciplina. A revista está dividida em duas seções

A primeira seção inclui ensaios que, embora os autores já sejam conhecidos na Itália, ainda não foram traduzidos para o italiano, bem como ensaios escritos por autores menos conhecidos na Itália, a fim de garantir a difusão do pensamento psicanalítico da três regiões da IPA (Europa, América do Norte, América do Sul). A segunda seção inclui artigos de analistas italianos revisados ​​por pares anonimamente por um conselho de analistas qualificados pertencentes a outras Sociedades IPA.
Psicoanalisi também publica ensaios considerados clássicos no campo da psicanálise, que são revisados ​​e discutidos por um ou dois colegas de diferentes orientações teóricas, e inclui uma seção com revisões da literatura psicanalítica internacional.

Instituto de treinamento e seminários
A AIPsi segue um modelo de formação tripartido de Eitingon: Análise da Formação, Seminários e Supervisões. Os candidatos são selecionados primeiro antes de iniciar sua análise com um analista de treinamento que eles podem escolher entre os disponíveis. A análise do candidato permanece totalmente privada e não há qualquer contato com o Instituto até que o candidato seja admitido a uma segunda seleção após um mínimo de dois anos de análise. Quando os candidatos são admitidos, iniciam os Seminários, organizados em turmas, com a duração de quatro anos em que se integra um intenso estudo básico de textos freudianos com autores pós-freudianos. Entre os membros da AIPsi estão os clássicos freudianos, kleinianos e winnicottianos, o que torna as reuniões científicas bastante animadas.

Supervisão
Prevê-se que a partir do segundo ano de curso os candidatos tratem o seu primeiro caso de formação através da realização de uma análise supervisionada. O tratamento deve ser realizado em pelo menos quatro sessões analíticas por semana. No terceiro ano, com a autorização do seu Analista Supervisor e da Comissão de Formação, prevê-se que os formandos iniciem o seu segundo estágio de formação sob a supervisão de outro analista formador. As supervisões devem ser conduzidas por analistas de treinamento da AIPsi e são realizadas uma vez por semana. Cada supervisão cobre pelo menos dois anos de trabalho analítico.

Seminários
2019; Alguns dos nossos candidatos na biblioteca da AIPsi.
Consistem em cursos teórico-clínicos, estágio prático-clínico, supervisões e participação em reuniões científicas, conferências e seminários organizados pela AIPsi. Os candidatos deverão assistir aos encontros científicos organizados uma vez por mês pela AIPsi e incluídos no número total de formação de 500 horas por ano, bem como a qualquer encontro ou congresso organizado pela AIPsi, a International Psychoanalytic Association (IPA) ou a European Psychoanalytical Federation. .
O estágio prático-clínico é realizado em serviços públicos de saúde ou ambulatórios de doenças mentais.  

Psicanálise e cultura
Para a AIPSi é muito importante dialogar com outras áreas culturais. A maioria de nossos membros lida com cultura, arte, literatura e cinema.
Lembramos disso: 

Graziella Magherini, interessou-se particularmente pela relação entre arte e psicanálise. Escreveu diversos artigos sobre Michelangelo, Caravaggio, Giovanni Bellini e publicou “La sindrome di Stendhal” (síndrome de Stendhal): o mal-estar do viajante diante da grandeza da arte.

Simona Argentieri publicou vários livros e artigos sobre a relação entre a psicanálise e a comunidade, com particular atenção à literatura e ao cinema. Foi curadora do programa de televisão “A câmara do inconsciente” baseado na relação entre cinema e psicanálise. “Freud a Hollywood” (Freud em Hollywood) foi um livro que escreveu que despertou grande interesse entre cineastas, psicanalistas e fãs de cinema.

Monastero Fonte AvellanaMatteo De Simone está particularmente interessado em criatividade, processos criativos e inibição criativa. Há vários anos que organiza um congresso interdisciplinar no esplêndido Mosteiro da Fonte Avellana (na região de Marche) onde se reúnem, para tratar de questões específicas, escritores, poetas, artistas, músicos, filósofos, cientistas, arquitectos, performers, psicanalistas e praticando religiões de diferentes religiões.






CONTACTOS
Email [email protegido] 
Site: www.aipsi.it 
Facebook: Associazione Italiana di Psicoanalisi / AIPsi.